26 de dez de 2010

Que haja paz!





 Que haja paz no céu.
Que haja paz na atmosfera.
Que haja paz na terra.
Que as águas tragam paz para todos.
Que as ervas medicinais tragam paz para todos.
Que as plantas tragam paz para todos.
Que as forças da natureza e os sábios dêem paz para todos.
Que a paz e a harmonia reinem no universo inteiro.
Que a paz, somente a paz, prevaleça em todos os lugares.
Que eu também tenha essa paz.


                                                                        Yajur veda  XXXVI:17

Para aprofundar o seu caminho


Em O Coração do Yoga, Desikachar oferece de forma detalhada o sistema de seu pai unindo a ele sua própria visão prática, que descreve como "um programa para a espinha dorsal em todos os níveis-físico, mental e espiritual". Este é o primeiro texto de yoga a organizar, passo a passo, uma prática completa de acordo com seus antigos princípios. Desikachar discute todos os elementos do yoga - posturas e contraposturas, respiração consciente, meditação e filosofia - e mostra como o aluno pode obter uma prática que se encaixe em seu presente estado de saúde, idade, ocupação e estilo de vida.
Com muitas fotos e ilustrações que ajudam o leitor montar a sua prática de yoga, o livro O coração do yoga é a síntese do legado de Krishnamacharya, que tornou o yoga acessível a milhões no mundo todo. O que é extremamente importante sobretudo nos nossos tempos. Afinal, as escrituras antigas indianas são tão abrangentes e precisas que já previam inclusive que a época atual seria uma das mais difíceis para a humanidade. Segundo essa teoria, o mundo vive quatro eras – os Yugas – em cada um de seus ciclos, do nascimento à morte. Na idade de ouro, o nascimento, vive-se a plenitude dos valores éticos, morais e dos ideais. Estamos na fase terminal de um ciclo, Kali Yuga, era das trevas, em que alternativas para o bem-estar e o autoconhecimento são bens de primeira necessidade. Males tidos como "modernos", como depressão, estresse e ansiedade, têm suas origens, conseqüências e devidos tratamentos discutidos na filosofia yóguica nascida há mais de quatro mil anos!
 O yoga e sua ciência continuam tão atuais quanto relevantes. E finalmente chega agora o mapa para decifrá-lo e adaptar seus benefícios às capacidades e necessidades de cada um.

24 de dez de 2010

Uma Nova Resolução


2010 está quase no fim. Um ano sem dúvida de muitas descobertas, de muitas bençãos, de muita luz e escuridão também. Mesmo os momentos de desafios são extremamente importantes, nos transformam, nos fazem crescer internamente. Então agradeça. Agradeça por tudo, por cada momento, por cada respiração, por cada sensação, pelas suas novas descobertas, pelos ciclos que se finalizaram e pelos que estão se iniciando.
E é dentro deste espaço de silêncio interior que você deve fazer o seu Sankalpa, as suas resoluções interiores para um novo ano.
  Resoluções positivas, para os caminhos que estão dando certo que, você tenha força e sustentação para mantê-los e se dar a chance de provar novos camimhos, novos sabores e  paisagens em  2011.
Reserve um tempo para colocar as suas intenções para o Universo e  para o seu universo interior.
"A palavra sankalpa significa "construção mental", mas pode traduzir-se corretamente como "resolução interior". O sankalpa é uma fôrmula breve, clara e carregada de significado, que tem como objetivo principal potencializar os aspectos mais positivos da personalidade.

Deve manter-se o mesmo sankalpa de dez a quinze vezes seguidas, durante a prática de meditação ou relaxamento, e deve ser repetida pelo menos três vezes ao iniciar e três ao finalizar a prática.
Devem ser poucas palavras, e sempre as mesmas, para fixá-las no pensamento: uma frase curta, do gênero "tudo está perfeitamente bem agora" ou "me aceito exatamente como sou".

A resolução interior deve ser sempre afirmativa. Por exemplo, é infinitamente melhor repetir mentalmente "estou saudável" ao invés de "não estou doente".
                                                                                                      Pedro Kupfer -Yoga prático

* quando fizer o seu sankalpa focalize sua força de vontade, sua determinação e seu tapas, 
* separe o essencial do supérfluo - isso é muito importante.
* repita seu sankalpa em estado de relaxamento profundo.
* lembre-se  que, quem cria sua realidade, é você mesmo.
* o sankalpa deve ser curto, claro e simples.
faça sempre afirmações positivas.
* conjugue sua resolução sempre no presente.
* Repita mentalmente seu Sankalpa no inicio de cada meditação e no inicio da sua prática
visualizando já realizado aquilo que você deseja. 

Que assim seja!
Om Shanti Om!

Boas festas e um bOM ano novo para todos nós

1 de dez de 2010

O poder do silêncio

                                                                                                                                          Gregory Colbert

Eu não sou os meus pensamentos, não sou minhas emoções, minhas percepções sensoriais e minhas experiências. Não sou o conteúdo da minha vida. Sou o espaço no qual todas as coisas acontecem. Eu sou a consciência. Sou o Agora. Eu Sou.
                                                                                  Eckhart Tolle 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails